domingo, 4 de março de 2012

Reborn babies

Já ouviram falar dos reborn babies? Para quem não conhece não são nada mais nada menos que bonecos extremamente realistas, que se parecem mesmo mesmo mesmo com bebés reais. Até aqui tudo bem.


É uma coisa gira, são muito realistas e tal e são lindas bonecas para coleção e para as meninas brincarem ao faz-de-conta. O que me preocupa é estas bonecas serem compradas por senhoras mais velhas que não têm filhos e os usam como substitutos e em casos em que as mães perdem filhos e os usam no luto, o que chega a ser... mórbido. E vocês dizem: -ah D. mas não estou a ver qual é o problema. Este é o problema:



Um boneco nunca poderá substituir um filho e não sei até que ponto isto poderá ser saudável psicologicamente para algumas pessoas.

9 comentários:

FME disse...

concordo contigo: é mórbido.

mari disse...

cruzes :S ... que dessem estas bonecas a crianças ainda podia compreender ... agora uma adulta tb não me parece nada normal :(
**

Roxanne disse...

isso não pode ser saudável. ponto final!

tinha graça para miudas de 4 anos, não para adultos que têm que enfrentar problemas graves!

QueenC. disse...

A ocasião para a qual quero um vestido é um jantar. Com um rapaz ;)

Corina de Oliveira disse...

epá... nao sei :s realmente...

Susi disse...

Há gente mesmo louca com estes bonecos. Até os passeiam e compram merdas caras e tudo mais -.- porra, adoptem um a sério se não poderem ter! É que há limites possa

Susi disse...

Mas isto enviou o meu comentário de revolta sobre as mulheres frustradonas que andam com estes bonecos como se eles fossem mesmo bebés? -.-

Ju disse...

Eu acho tão assustador a vida que dão a esses bonecos :/ uma vez vi uma reportagem na sic e fiquei mesmo chocada!

D. disse...

FME: Fez-me imensa confusão poderão amar um bocado de plástico.

mari : Ninguém pode achar isto normal.

Roxanne: Na reportagem que vi, falou um psiquiatra que concorda contigo!

Corina de Oliveira: é uma coisa muito estranha...

Susi: recebi os dois e partilho da tua indignação

Ju: eu temo pela saude de algumas pessoas que vi na reportagem. mas a sério.